Voltar para   página anterior

Pela primeira vez, agricultoras da ACOPASA-RN participam de oficina para produção de alimentos com certificação orgânica participativa


Por Acsa Macena

Diante da expectativa para finalização da Unidade de Beneficiamento de Alimentos (UBA) no início do próximo ano, a formação serviu como um treinamento para a correta embalagem e produção de alimentos como o tahine e a pasta de amendoim

Oficina para produção de alimentos com certificação orgânica participativa, na sede de Diaconia em Umarizal – RN, Oeste Potiguar

Na última segunda-feira(21/11), agricultoras da Associação de Certificação Orgânica Participativa do Sertão do Apodi – ACOPASA/RN que estarão à frente da Unidade de Beneficiamento de Alimentos (UBA) do território, participaram de uma oficina realizada na sede de Diaconia no Oeste Potiguar, município de Umarizal-RN, para produção de alimentos beneficiados do gergelim e amendoim, tais como o tahine, a pasta de amendoim, além dos grãos ensacados.

O objetivo da atividade se dá diante da expectativa de conclusão da UBA do Sertão do Apodi (RN), prevista para janeiro do próximo ano. A ideia é que a produção de alimentos orgânicos seja impulsionada na região, com a comercialização para o mercado orgânico do óleo de gergelim, tahine, pasta de amendoim, gergelim granulado, amendoim cru e torrado, feijão ensacado, milho, além das frutas de época e das plantas de adubação verde como o feijão de porco, feijão guandu, sementes de girassol e outros.

Segundo a presidente da ACOPASA, a agricultora Antonieta Pierre, a oficina serviu para construir conhecimentos sobre o correto processamento dos alimentos, assim como para aumentar o sonho da comercialização de outros produtos dos consórcios, para além do algodão com certificação orgânica participativa. “Quando os equipamentos da nossa UBA chegar, iremos produzir esses alimentos em quantidades maiores e, se Deus quiser, vamos colocar os nossos produtos no mercado”, afirma.

Oficina para produção de alimentos com certificação orgânica participativa, na sede de Diaconia em Umarizal – RN, Oeste Potiguar

Na oficina conduzida pelo assessor técnico de Diaconia Hélio Nunes, foram compartilhadas orientações sobre como mensurar a qualidade dos grãos, procedimentos para o correto processamento e embalagem dos produtos. Segundo a agricultora multiplicadora da ACOPASA-RN, Maria Dilvânia, que além de participar da oficina também experimentou produzir biscoitos de amendoim após a formação, é gratificante ver o resultado da produção dos consórcios agroecológicos.

“Esse aprendizado vem enriquecer e valorizar nossa produção, e com a construção da UBA, é mais uma esperança que nossa produção terá o seu devido valor, sabendo que a UBA unirá não só minha produção, mais a de todo o território que faz parte da ACOPASA”, afirma.

Também foi trabalhada na oficina a viabilidade econômica para a comercialização das frutas de época. Segundo o técnico de Diaconia Paulo Nobre, que assessora a ACOPASA-RN, para que a UBA se tornasse uma realidade próxima, foi necessário um passo a passo que antecedeu o beneficiamento dos alimentos.

“O produto sai do roçado da família, passa pelo trabalho de limpeza e armazenamento até chegar na UBA. Então para que isso acontecesse, foi necessário trabalhar a colheita, pós-colheita e armazenamento dos alimentos junto à ACOPASA. A expectativa é que com o funcionamento da UBA, haja um maior fluxo de produtos através do beneficiamento que será impulsionado no local apropriado”, considera.

Nesta nova fase do Projeto Algodão (2022-2027), o incentivo à produção com certificação orgânica participativa e a agregação de valor aos produtos dos consórcios é uma das prioridades para o fortalecimento da agricultura familiar.

Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos – É uma iniciativa coordenada por Diaconia, em parceria estratégica com a Universidade Federal de Sergipe (UFS, Campus Sertão – Nossa Senhora da Glória/SE). O Projeto conta com o apoio financeiro da Laudes Foundation, da Inter-American Foundation (IAF) e do FIDA/AKSAAM/UFV/IPPDS/FUNARBE. O Projeto ainda é parceiro do SENAI Têxtil e Confecção da Paraíba, e com o Projeto + Algodão – FAO/MRE-ABC/Governo do Paraguai/IBA. Para a execução do Projeto nos territórios, a Diaconia estabeleceu parcerias com ONGs locais com experiência em Agroecologia que são responsáveis pelo assessoramento técnico para fortalecer os Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade Orgânico (OPACs) e a produção agroecológica. No Sertão do Piauí, a Cáritas Diocesana de São Raimundo Nonato desenvolve as atividades na Serra da Capivara. No Sertão do Cariri, na Paraíba, o trabalho está sendo realizado pela Arribaçã, tendo ainda a parceria com o CEOP – Território do Curimataú/Seridó da Paraíba. No Sertão do Araripe, em Pernambuco, as ONGS CAATINGA e CHAPADA assumiram conjuntamente as ações do Projeto. As atividades no Alto Sertão de Alagoas e no Alto Sertão de Sergipe estão a cargo do Instituto Palmas e do Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC), respectivamente. No Sertão do Pajeú (PE) e no Oeste Potiguar (RN), territórios onde a Diaconia já mantém escritórios e atividades, ela mesma se encarrega da implementação das ações locais do Projeto e parceria com CPT – RN.