Voltar para   página anterior

Plantando poesia: história de vida das famílias agricultoras sertanejas apoiadas pelo Projeto Algodão é tema de livro que será lançado pelo artista visual Derlon

Por Acsa Macena


Lançamento do livro acontecerá nesta terça-feira (14/06), a partir da 18h, no auditório Cais do Sertão em Recife-PE

Famílias agricultoras e ilustrações de Derlon na Unidade de Aprendizagem e Pesquisa (UAP) em Sertânia, Sertão do Pajeú (março de 2022)

O conjunto de práticas e vivências que envolvem o cultivo do algodão em consórcios agroecológicos por mais de 1.300 famílias agricultoras espalhadas no Semiárido nordestino, resultou no livro “Plantando poesia”, que será lançado na próxima terça-feira (14/06) em Recife/PE, no auditório do Cais do Sertão. A iniciativa que teve dois anos de planejamento foi organizada entre a Diaconia, no âmbito do Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos; a empresa de calçados orgânicos franco-brasileira VERT; e o artista plástico pernambucano Derlon, reconhecido internacionalmente pelo grafite de xilogravuras e valorização da cultura nordestina, um tipo de “xilografite”.

A produção do livro foi desenvolvida a partir do Projeto de Residência Artística no Sertão do Pajeú/PE com o objetivo de valorizar a agricultura familiar nordestina desenvolvida em bases agroecológica. Assim, ainda em 2021, foi realizada a identificação de poetas e poetisas nas comunidades pernambucanas para composição de uma curadoria com afinidade em cordel e na temática da agroecologia, a fim de possibilitar a construção imersiva das poesias que inspiraram as ilustrações feitas por Derlon para o livro. Entre eles estão os poetas Alexandre Morais, Elenilda Amaral, Islan, Isabelly Moreira e Zé Adalberto.

Sendo assim, o lançamento do livro “Plantando Poesia”, publicado pela Impressões de Minas Editora, contará com a presença do artista Derlon, dos poetas e poetisas do Pajeú, agricultoras e agricultores apoiados/as pelo Projeto Algodão, membros da Diaconia, da empresa VERT e outros/as convidados/as. Além disso, o livro de poesias e ilustrações será presenteado para cada família que cultiva o algodão orgânico consorciada com outras culturas alimentares como o milho, feijão, gergelim, girassol e amendoim no âmbito do Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos.

Comercialização da pluma para o mercado orgânico e justo – Uma das frentes de atuação do Projeto Algodão é aproximar famílias agricultoras ao mercado orgânico justo, a partir da comercialização dos produtos agrícolas com selo brasileiro orgânico, onde as Unidades Familiares Produtivas são controladas pelos Sistemas Participativos de Garantia (SPGs) dos Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade (OPACs), à luz da legislação brasileira dos orgânicos. Só para se ter uma ideia, no último ano a VERT comprou mais de 36 toneladas de algodão em transição e com certificação orgânica das famílias agricultoras vinculadas ao Projeto Algodão, o que representa mais de 60% do fornecimento total no país. Sendo assim, a pluma do algodão orgânico produzido por famílias agricultoras dos sete territórios de atuação do Projeto Algodão tem rompido as fronteiras do Semiárido nordestino e trazido incremento na renda das famílias.

Agricultora multiplicadora Lucineide Cordeiro UAP da comunidade Laje do Gato – Afogados da Ingazeira – PE

Sobre a VERT – É uma marca de tênis sustentável franco-brasileira que atua no Brasil desde a sua fundação, em 2005, e aposta no comércio justo com os seus produtores de matéria-prima, como o algodão orgânico cultivado por famílias agricultoras do Nordeste.

Sobre o lançamento do livro – Para o lançamento do livro “Plantando Poesia”, no dia 12 de junho, os poetas e Derlon estarão novamente no Sertão de Pajeú junto aos agricultores em um evento especial, para celebrar o resultado da vivência. Já o evento aberto ao público será realizado no dia 14 de junho (terça-feira), com início às 18h30 e final às 21h, no auditório do Cais do Sertão, em Recife-PE.

Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos – É uma iniciativa coordenada por Diaconia, em parceria estratégica com a Universidade Federal de Sergipe (UFS, Campus Sertão – Nossa Senhora da Glória/SE). O Projeto conta com o apoio financeiro da Laudes Foundation, da Inter-American Foundation (IAF) e do FIDA/AKSAAM/UFV/IPPDS/FUNARBE. O Projeto ainda é parceiro do SENAI Têxtil e Confecção da Paraíba, e com o Projeto + Algodão – FAO/MRE-ABC/Governo do Paraguai/IBA. Para a execução do Projeto nos territórios, a Diaconia estabeleceu parcerias com ONGs locais com experiência em Agroecologia que são responsáveis pelo assessoramento técnico para fortalecer os Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade Orgânico (OPACs) e a produção agroecológica. No Sertão do Piauí, a Cáritas Diocesana de São Raimundo Nonato desenvolve as atividades na Serra da Capivara. No Sertão do Cariri, na Paraíba, o trabalho está sendo realizado pela Arribaçã, tendo ainda a parceria com o CEOP – Território do Curimataú/Seridó da Paraíba. No Sertão do Araripe, em Pernambuco, as ONGS CAATINGA e CHAPADA assumiram conjuntamente as ações do Projeto. As atividades no Alto Sertão de Alagoas e no Alto Sertão de Sergipe estão a cargo do Instituto Palmas e do Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC), respectivamente. No Sertão do Pajeú (PE) e no Oeste Potiguar (RN), territórios onde a Diaconia já mantém escritórios e atividades, ela mesma se encarrega da implementação das ações locais do Projeto e parceria com CPT – RN.