Voltar para   página anterior

Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos é apresentado como referência em Webinars promovidos pelo Projeto + Algodão no Paraguai

Por Thamires Lima


O projeto é fruto da cooperação conjunta do Governo do Brasil por meio da Agência Brasileira de Cooperação, FAO e Governo do Paraguai

Com o objetivo de expandir o modelo de sustentabilidade do algodão em consórcios agroecológicos em países como o Paraguai, a Diaconia apresentou a experiência do Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos, desde o processo de certificação orgânica a partir do funcionamento de sistemas participativos de garantia (SPGs), as regras e práticas para a produção do algodão orgânico e outros alimentos, os Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade (OPACs), que organizam o gerenciamento de controle dos SPGs em unidades familiares produtivas na geração do selo brasileiro orgânico produtos agrícolas e a  comercialização direta ao mercado justo e mercado orgânico por organizações de base da agricultura familiar, no intercâmbio de experiências que resultou em sete webinars com representações de países como a Colômbia, Equador, Bolívia, Peru, Moçambique, Tanzânia, Benim, Brasil e Paraguai.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) coordena o Projeto +Algodão e tem feito a gestão participativa, além de facilitar os processos mais sustentáveis. “Ficamos muito felizes quando esse modelo de organização social dos produtores e produtoras pode ser difundido e levado para outros países”, afirma Adriana Gregolin, coordenadora do Projeto + Algodão – a FAO.  E completa: “Os webinars foram proveitosos e serviram para conhecer a metodologia e conceitos que a Diaconia vem trabalhando. Foi muito importante ficar por dentro de todos os passos para a produção do algodão agroecológico e essa fase de formação foi a base para o modelo que, em breve, será replicado”, conta.


Fábio Santiago, coordenador do Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos pela Diaconia, comenta que a ampliação do projeto pode beneficiar os agricultores e agricultoras na geração de renda e impulsionar a economia circular. “O modelo de sustentabilidade que estamos experimentando fortalece a organização social das famílias agricultoras com a certificação orgânica e também faz a aproximação direta com o mercado, por meio da comercialização através das associações, e que dá direito a um prêmio por estar produzindo o algodão com certificação e um prêmio coletivo pela participação. Queremos avançar com esse modelo para a agricultura familiar na América Latina e no Brasil, já que 80% dos produtores e produtoras de algodão na América Latina são da agricultura familiar”, afirma. 

O AKSAAM é um projeto de gestão do conhecimento que vem sendo executado pelo IPPDS, Universidade Feral de Viçosa e FUNARBE, apoiado pelo Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola (FIDA), que vem contribuindo em  processos formativos, e tem como principal objetivo trabalhar o acesso aos mercados, a cooperação Sul Sul e geração de produtos ao acesso de conhecimento. O professor Ricardo da UFV, um dos coordenadores técnicos  do AKSAAM, comenta sobre a atuação da Diaconia no Projeto + Algodão. “A Diaconia está a frente na parte do trabalho técnico e na organização das famílias agricultoras, dos OPACs, do cuidado e no padrão de qualidade para o acesso ao mercado. Isso tudo exige uma logística grande e complexa e dividir essa experiência com os outros países foi essencial porque serve de referência do trabalho que contempla todas as dimensões”, afirma.

Para o oficial de programa do FIDA, Hardi Vieira, trabalhar com a cooperação conjunta é estratégico para a consolidação do Projeto Algodão. “Poder mostrar o trabalho do algodão, que tem sido feito no brasil, é um passo importante para fortalecer e firmar o projeto. Para isso, temos feito a parceria com diferentes agentes locais”. Além disso, Hardi afirma que através da capacitação voltada para assistência técnica, é possível aumentar a resiliência da agricultura familiar diante das mudanças climáticas e promover a geração de renda.

Os próximos passos serão documentar e sistematizar as experiências para que o material possa ser disponibilizado em outras línguas como espanhol, além de trabalhar a adaptação das tecnologias com universidades locais e fazer as consultas necessárias para cada realidade.

Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos – É uma iniciativa coordenada por Diaconia, em parceria estratégica com a Universidade Federal de Sergipe (UFS, Campus Sertão – Nossa Senhora da Glória/SE). O Projeto conta com o apoio financeiro da Laudes Foundation, da  Inter-American Foundation (IAF) e do FIDA/AKSAAM/UFV/IPPDS/FUNARBE. O Projeto ainda é parceiro com o Projeto + Algodão – FAO/MRE-ABC/Governo do Paraguai/IBA. Para a execução do Projeto nos territórios, a Diaconia estabeleceu parcerias com ONGs locais com experiência em Agroecologia que serão responsáveis pelo assessoramento técnico para fortalecer os Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade Orgânico (OPACs) e a produção agroecológica. No Sertão do Piauí, a Cáritas Diocesana de São Raimundo Nonato desenvolve as atividades na Serra da Capivara. No Sertão do Cariri, na Paraíba, o trabalho está sendo realizado pela Arribaçã, tendo ainda a parceria com o CEOP – Território do Curimataú/Seridó da Paraíba. No Sertão do Araripe, em Pernambuco, as ONGS CAATINGA e Chapada assumiram conjuntamente as ações do Projeto. As atividades no Alto Sertão de Alagoas e no Alto Sertão de Sergipe estão a cargo do Instituto Palmas e do Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC), respectivamente. No Sertão do Pajeú (PE) e no Oeste Potiguar (RN), territórios onde a Diaconia já mantém escritórios e atividades, ela mesma se encarrega da implementação das ações locais do Projeto e parceria com CPT – RN.