Voltar para   página anterior

Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos é apresentado na Argentina

Por Tadzio Estevam


Pesquisadores, pesquisadoras, técnicos, técnicas e extensionistas do INTA e da Diaconia – representada pelo coordenador do projeto Fábio Santiago e pela técnica Ana Paula Gomes -, estão reunidos e reunidas no Círculo de Legisladores da Nação Argentina para compartilhar experiências de produções familiares de algodão agroecológico com gestão sustentável e valor agregado tanto no Brasil como na Argentina. Dois casos de grande potencial no segmento é a Diaconia e Trama Viva. O encontro foi promovido por Romina Giliberti e María Pía Almeida Bou, duas estilistas argentinas, no âmbito do Fórum para uma agricultura independente e sustentável, com o apoio da deputada Cornelia Schmidt Liermann.

Valeria Paz – extensivista do INTA Santiago del Estero – ponderou sobre esses espaços de troca por “permitir a promoção da produção agroecológica de algodão nos sistemas de produção familiar e artesanal e contribuir para o fortalecimento e empoderamento dos sistemas na parcela de algodão da semente , valor agregado e comercialização ”.

“A partir do INTA, acompanhamos a experiência do Trama Viva com treinamentos, workshops e palestras para aprimorar seu desenvolvimento”. É uma experiência incipiente na qual, por enquanto, participam três produtores agroecológicos de algodão e 17 artesãos, todos eles de Santiago del Estero.

Por sua vez, Néstor Gómez – pesquisador e gerente técnico do projeto – reconheceu que “a produção de algodão na província não é muito lucrativa para os produtores familiares”. Por esse motivo, incentivamos que agreguem valor à atividade, cumprindo determinados protocolos que garantam boas práticas agrícolas em cada etapa e, assim, diferenciam o produto final e aumentam os lucros.

Nesse momento, Paz renunciou à experiência “gerando mão-de-obra, envolvendo jovens e mulheres em uma produção limpa, sem resíduos de substâncias químicas. É uma atividade sustentável, com potencial, rentabilidade e que não concorre com outras atividades ”. Pelo contrário, está integrado à produção de alimentos da região, como milho, abóbora, melancia e melão, por serem lotes de biodiversidade.

Da mesma forma, o extensionista destacou a forte demanda que os produtos feitos com algodão agroecológico têm, especialmente o setor de moda sustentável nas cidades de Bariloche e Córdoba, roupas de bebê e áreas de saúde.

O projeto brasileiro apresentado na Argentina – Algodão em Consórcios Agroecológicos -, é coordenado pela Diaconia em parceria com a Embrapa Algodão, Universidade Federal de Sergipe e outras organizações. Dentre as características dele está o impulsionamento do crescimento da produtividade, a produção de sementes orgânicas, o gerenciamento de culturas e a implementação de tecnologias. Além disso, há o trabalho de sistematização de práticas sustentáveis de manejo de pragas na lavoura.

A experiência abrange a região semiárida do nordeste do Brasil, com foco inicial nos territórios dos estados: Pernambuco (Sertão do Pajeú e Sertão do Araripe), Paraíba (Sertão do Cariri), Piauí (Serra da Capivara), Rio Grande do Norte (Sertão do Apodi), Alagoas (Alto Sertão) e Sergipe (Alto Sertão), Ceará (Sertão dos Inhamuns/Crateús e Sertão Central).

Além disso, por uma década, Diaconia pede uma reflexão e mudança de práticas sobre questões relacionadas a direitos humanos econômicos, sociais, culturais e ambientais (DHESCAs). Nesse sentido, promovem atividades de capacitação de gênero e incentivam a participação das mulheres em espaços de articulação, intercâmbio e monitoramento de políticas públicas.

Para a Deputada Cornelia Schmidt-Liermann, na qualidade de Presidente da Comissão de Relações Exteriores e Culto da Câmara dos Deputados da Nação Argentina e membro da Comissão de Agricultura e Pecuária, “a sustentabilidade nas diversas formas de produção é, sem dúvida, um dos eixos temáticos que queremos continuar a aprofundar e, nesse sentido, a indústria da moda tem muito a contribuir. Por esse motivo, levando em conta sua vasta experiência no assunto, temos o prazer de compartilhar essas experiências no âmbito da referida reunião”.

Ainda esta semana, acontecerá a Expo Têxtil Cooperativas, onde a equipe do projeto, formada pelo coordenador Fábio Santiago e a técnica Ana Paula Gomes, irá participar discutindo e conhecendo as experiências de mais de 60 cooperativas.