Voltar para   página anterior

Projeto Algodão realiza mais uma formação em UAP na Serra da Capivara (PI)

Por Tadzio Estevam


Atividades fazem parte das ações do projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos

Projeto vem sendo executado na Serra da Capivara desde setembro de 2018. Fotos: Alírio Ribeiro

Por Tádzio Estevam e Alírio Ribeiro*

Famílias agricultoras da Serra da Capivara, no Piauí, participaram no último dia 21 de março da terceira formação oferecida pela Embrapa Algodão na Unidade de Aprendizagem e Pesquisa Participativa (UAP) do território. As atividades fazem parte do projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos, uma iniciativa coordenada por Diaconia, em parceria estratégica com a Embrapa Algodão e a Universidade Federal de Sergipe (UFS, Campus Sertão — Nossa Senhora da Glória), que acontece em sete territórios semiáridos de seis estados do Nordeste do Brasil. O projeto conta com o apoio técnico e financeiro do Instituto C&A.

A formação aconteceu nas comunidades quilombolas Lagoa dos Prazeres e Lagoa das Casacas, no município de São Raimundo Nonato, onde foram realizados dois momentos: Oficina para discussão de Gênero e visita a dois roçados para a atividade prática do projeto.

A realização da UAP nos territórios visa o empoderamento dos agricultores e agricultoras participantes através da metodologia participativa, onde são realizados testes e experimentações de estudos e técnicas que estão sendo desenvolvidas pela Embrapa. Dentro dos módulos de formação, a discussão de gênero tem grande relevância e vem sendo trabalhada em cada módulo de forma prioritária.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Algodão, Fábio Aquino, essa formação teve como objetivo impulsionar os agricultores e agricultoras participantes a aprender fazendo. Na visita à propriedade do agricultor Salvador Ferreira, os demais participantes aprenderam na prática os procedimentos de adubação das plantas e a fazerem o desbaste do algodão. “Fiquei muito feliz em receber a visita das famílias na minha propriedade. Se a gente tiver cuidado com a terra e a plantação teremos um bom resultado na produção”, disse seu Salvador.

Para a agricultora Cremilda Carvalho, moradora do município de Coronel José Dias, a experiência do encontro foi enriquecedora, pois “a discussão de gênero reforça a necessidade de um olhar mais cuidadoso para as questões da mulher, especialmente para nós, mulheres do campo, enfatizando a importância do nosso trabalho e na justa divisão de trabalho entre o homem e a mulher”.

O projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos está sendo desenvolvido na Serra da Capivara desde setembro de 2018. Um de seus objetivos é promover o fortalecimento dos Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade Orgânica (OPACs), organizações que irão conferir o Selo de Qualidade da produção tanto do algodão quanto das outras culturas consorciadas (feijão, milho e gergelim). A iniciativa tem duração de dois anos. Para a execução do projeto nos territórios, a Diaconia estabeleceu parcerias com ONG’s locais com experiência em Agroecologia que serão responsáveis pelo assessoramento técnico para fortalecer os OPAC’s e a produção agroecológica.

No Sertão do Piauí, a Cáritas Diocesana de São Raimundo Nonato desenvolve as atividades na Serra da Capivara. No Sertão do Cariri, na Paraíba, o trabalho está sendo realizado pela Arribaçã. No Sertão do Araripe, em Pernambuco, as ONG’s Caatinga e Chapada assumiram conjuntamente as ações do projeto. As atividades no Alto Sertão de Alagoas e no Alto Sertão de Sergipe estão a cargo do Instituto Palmas e do Centro Dom José Brandão de Castro, respectivamente. No Sertão do Pajeú (PE) e no Oeste Potiguar (RN), territórios onde a Diaconia já mantém escritórios e atividades, ela mesma se encarrega da implementação das ações locais do projeto.

*Tádzio Estevam é Assessor de Comunicação da Diaconia e Alírio Ribeiro é repórter do site VEJASRN Notícias (www.vejasrn.com.br)